quinta-feira, 6 de junho de 2013

Só para a gente nunca deixar de ser criança...
Paloma Perez, 2013, dollhouse, óleo s/ tela, 200x100 cm

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Você pode fazer parte de uma iniciativa importante no campo das artes hoje. Através da sua capacidade de somar ideias e ajeita-las num todo confortável para que agrade os envolvidos. Espere apoios de alguém muito experiente. Seu idealismo será premiado com algo bonito. Será?

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Tratar as pessoas como objetos sobre as quais projetar as frustrações e desejos é uma injustiça. 
Tem gente que faz.

domingo, 5 de maio de 2013

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz tempo

O tempo. Ano Velho. Ano Novo. Não entendo a virada, a parada, o ar preso, os olhos colados no relógio, a explosão bélica. Não gosto de fins de anos. Talvez porque adoro tintas, pincéis, telas, cores. Não  gosto de tempo fincado no calendário. Tempo é tempo, e tempo é solto. Tempo vai e volta numa piscada de tempo. Tempo não termina. Tempo flui. Tempo não vai embora. Por isso não recebo o tempo como novo. Como o tempo pode ser novo ou velho quando ele é eterno? Tempo é pintado, criado, cuidado. Tempo é tempo que se apressa ou dá um tempo. Tempo não vira em viradas marcadas, pregadas em calendários. As viradas do tempo dependem de nós, das nossas lembranças, da tinta e pincel da nossa tela. Para uma pintora o tempo é "conhecível", sabido e respeitado em sua fugaz eternidade... Feliz Tempo, amigos!